Gerência Técnica organiza nova estrutura de comunicação entre a área e as equipes dos Laboratórios

29 de agosto de 2017

Em janeiro desse ano, a área da Gerência Técnica (GT), da Diretoria Executiva dos Laboratórios de Investigação Médica (Direx-LIM), coordenada por Vivian Renata Boldrim Saboya, iniciou o aperfeiçoamento na estrutura de comunicação entre o setor e as unidades laboratoriais. Desse novo projeto, surgiram iniciativas de melhoria das práticas em laboratório.

Gabriela Hase Siqueira, biologista da área e uma das responsáveis por esse trabalho da Gerência Técnica, conta que foi criado um grupo no e-mail institucional entre os facilitadores – profissionais dentro dos laboratórios que são responsáveis por fazer o intermédio entre suas equipes e o setor da GT. “A ideia é estreitar relação entre eles [facilitadores] para se ajudarem”, declara. Além dos facilitadores, o grupo conta com representantes da Comissão Interna de Qualidade e Biossegurança (CIQBio) e da Comissão de Resíduos da FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo).

III Encontro do Grupo dos facilitadores, realizado no dia 20 de junho desse ano (Foto: Arquivo da Gerência Técnica dos LIMs).

III Encontro do Grupo dos facilitadores, realizado no dia 20 de junho desse ano (Foto: Arquivo da Gerência Técnica dos LIMs).

De acordo com a biologista, a iniciativa aprimorou a comunicação entre os LIMs, já que os 62 laboratórios não se localizam no mesmo prédio. Ela conta que os profissionais das unidades laboratoriais estão em comunicação constante, auxiliando uns aos outros na doação e empréstimos de reagentes, equipamentos, gelo seco, entre outros produtos utilizados em laboratórios de pesquisa. Iran Amorim da Silva, biologista e facilitador do Laboratório de Urologia (LIM 55), é um dos integrantes que utiliza bastante o novo canal de comunicação. “Eu uso bastante para isso [doações]. Ou então quando temos alguma dúvida sobre descarte de algum reagente ou de algum procedimento que se tem que fazer e que a gente nunca fez. Uso bastante esse canal porque a resposta é muito rápida. […] Foi uma iniciativa que deu uma melhorada muito significativa no trato dessas questões de laboratório, de material, de reagentes”, declara Silva.

Gabriela também informa que a Gerência Técnica, por meio da CIQBio, está implantando nos Laboratórios de Pesquisa uma nova prática, baseada na metodologia japonesa do 5S – etapa inicial para alcançar a qualidade total numa instituição, através da organização e da disciplina no local de trabalho. “A importância dessa ação é fazer um ambiente que seja organizado, facilitando na qualidade do trabalho final e na segurança dos trabalhadores”, afirma. Silva elogia esse novo trabalho da GT. “Essa questão do 5S é uma iniciativa que a gente sempre teve vontade de fazer, mas a gente sempre ficou com esse problema de o que fazer com os materiais. […] É legal a iniciativa do 5S porque a cada quinzena a Gerência Técnica está lançando uma campanha, então isso acaba envolvendo todo mundo; uma mesma direção”, conta o facilitador do LIM 55.

Lixeiras etiquetadas como resultado da primeira campanha da GT (Foto: Arquivo pessoal do facilitador Iran Amorim da Silva).

Lixeiras etiquetadas como resultado da primeira campanha da GT (Foto: Arquivo pessoal do facilitador Iran Amorim da Silva).

Sobre as campanhas, Gabriela explica que o setor organiza materiais e divulga aos facilitadores. “A primeira foi a identificação das lixeiras. Houve bastante participação das pessoas”, lembra. Na última quarta-feira, 23, a GT lançou a segunda campanha entre os laboratórios, sobre a importância dos chuveiros de emergência nas unidades laboratoriais. “A gente fez um manual sobre como proceder, como usar e sobre o cuidado em fazer testes semanais nos chuveiros, ter placa de sinalização e estar em local de fácil acesso”, informa a biologista.

Nesse mês, a GT, em conjunto com a Área de Tecnologia de Informação e a Área de Logística, Suprimentos e Infraestrutura, também foi responsável por compartilhar a doação de sete microcomputadores da Diretoria Executiva dos LIMs entre as unidades laboratoriais. “Fizemos a divulgação de que havia computadores para doação e pedimos para que aqueles que estavam precisando manifestassem interesse. Em dois dias conseguimos doar todos”, conta Gabriela.


Desenvolvido e mantido pela Disciplina de Telemedicina do Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina da USP