Seminário de Novembro teve o LIM 15 como tema

22 de novembro de 2018

Parte do que é feito no laboratório de neurologia foi apresentado por seus pesquisadores

Prof. Livramento faz introdução do seminário (foto arquivo Área de Comunicação e Informação dos LIMs)

Três integrantes do Laboratório de Investigação em Neurologia (LIM 15) dividiram a apresentação do Seminário Científico de Novembro, realizado no dia 14. Os dois responsáveis pelo laboratório, José Antonio Livramento e Hélio Rodrigues Gomes, e Carlos Otto Heise, responsável pelo setor de eletromiografia, fizeram as apresentações. Livramento fez uma breve introdução sobre a história do LIM 15 (leia mais no box abaixo) e sobre os trabalhos realizados nele atualmente.

Gomes falou sobre a importância do líquido cefalorraquidiano (LCR) para diagnóstico e análise das doenças do sistema nervoso, sejam inflamatórias ou demenciais – como, por exemplo, esquistossomose, esclerose múltipla e a doença de Alzheimer. Otto Heise apresentou os estudos feitos a partir do uso de eletroneuromiografia nos casos de plexopatia obstétrica, quando há lesão na estrutura do ombro em decorrência do uso de força no parto. A partir de um uso específico da eletroneuromiografia é possível, hoje, fazer um prognóstico mais preciso de lesões em bebês de apenas um mês, tornando possível saber quando é caso cirúrgico o quanto antes.

Os Seminários Científicos são organizados pela Comissão Científica e pela Diretoria Executiva dos Laboratórios de Investigação Médica (LIMs). São realizados sempre na segunda quarta-feira do mês e contam com palestrantes de áreas diversas da pesquisa científica dos LIMs.

Débora Rubin |Comunicação LIMs

Você sabia?

O LIM 15 tem origem no laboratório que existia dentro da Clínica Neurológica da FMUSP e que já pesquisava, desde os anos 1960, o líquido cefalorraquidiano (LCR) em moléstias infecciosas do sistema nervoso. Em 1973, o Professor Antonio Spina França Neto fundou o Centro de Investigação em Neurologia, e ampliou o leque de pesquisas, incluindo miopatias e estudo de biopsias musculares, eletromiografia e, ainda, estudos de anticonvulsivantes. Em abril de 1977, o Centro passou a fazer parte dos LIMs. Com o falecimento do Prof. Spina em 2010, ele passou a se chamar Laboratório de Investigação em Neurologia Prof. Spina-França, também conhecido como LIM 15.


Desenvolvido e mantido pela Disciplina de Telemedicina do Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina da USP